Lendas

O coxo que voltou a andar

O coxo que voltou a andar

Certo dia, Frei Gonçalo, deambulava numa das muitas romarias- expressões de fé populares- que tinham lugar nas alfeias serranas quando, de entre a multidão, surgiu um homem relativamente novo, muito alquebrado de joelhos e ancas. Ajudava-se mal com umas moletas e cada passo que dava era um sofrimento medonho. Aproximou-se e de olhar humilde e rogos sofrimentos suplicou-lhe uma bênção. Frei Gonçalo falou com o homem, inteirou-se da sua doença e olhando o céu memorou uma oração. Para ver o que se estava a passar- o ajunto já era grande- um rapaz folgazão de viola e tiracolo acercou-se curioso. Frei Gonçalo, ao ver a viola, pede que lha empreste ao que o jovem acedeu de bom grado. De viola na mão tocou no ombro do coxo com o cajado e diz-lhe: -Vamos, vamos todos dançar. Dedilhando umas modas conhecidas pôs toda a gente a dançar e a cantar. De entre a confusão sobressaía um homem que cantava, ria e dançava de muletas na mão e dava graças por ter de novo voltar a andar como todos os demais.

"LENDAS DE S. GONÇALO E DE AMARANTE" DE ANTÓNIO PATRÍCIO