Lendas

Um enorme penedo

Um enorme penedo

Corria de feição a construção d ponte quando, a certa altura das escavações, apareceu um enorme penedo que era preciso retirar. Não era que não desse boas pedras- que para tal poderia ser aproveitado- mas o sítio para levar a cabo a sua transformação não era o adequado. Metade em terra, metade em rio e a falta de tudo dificultavam sobremaneira o seu aproveitamento. Chamados os homens mais fortes há que abraçar o penedo com grossas cordas, flanqueá-lo com pancas do mais duro carvalho e, ombros encostados, todos ao mesmo tempo e ao som de upas iniciaram a sua deslocação. O certo é que, apesar da força e de todo o saber aplicado, o penedo nem se mexia. Mais homens foram chamados, mais força aplicada e o penedo parecia cosido ao chão. Desmotivados e desanimados os homens contar a Frei Gonçalo o que se estava a passar. O velho frade ergueu os olhos ao céu, balbuciou algumas palavras e, agarrando no seu cajado, caminhou até o penedo. Chegado ao local olhou para a enorme pedra, olhou para os trabalhadores e para o céu e colocando a mão sobre ela disse sorrindo. -Para esta a força de um velho basta. Empurrando-a com a mão e tocando-a com o cajado foi-a deslocando e guiando até o local escolhido como quem guia um cevado. Todos ficaram boquiabertos, assombrados pois não entendiam como é que o velho frade tinha mais força numa mão que eles todos juntos. Gritaram milagre…milagre e a todos que por aquelas bandas passavam, contavam este prodígio.

"LENDAS DE S. GONÇALO E DE AMARANTE" DE ANTÓNIO PATRÍCIO